terça-feira, 1 de outubro de 2013

HOSPITAL DE CÂNCER DE BARRETOS - FUNDAÇÃO PIO XII
HOSPITAL SÃO JUDAS TADEU - O Hospital do Amor

Este é um post que eu jamais imaginei que um dia faria, mas não posso deixar de registrar, ainda que tão doloroso para mim.

Há cerca de um mês meu paizinho faleceu em decorrência de um câncer, inicialmente diagnosticado na próstata, e posteriormente com a formação de novas lesões tumorais no fígado e na coluna, a tão temida metástase.

Hoje faz exatamente um mês de sua morte.
Um mês atrás, quando a enfermeira disse que ele estava com apneia, e eu num surto desesperado pedindo para colocarem mais oxigênio, quando ela, delicadamente e com muito respeito e amor me disse que ele estava falecendo...e ficou ao nosso lado, com muita compaixão e muito carinho (um parêntese...o paciente em cuidado paliativo, em determinada perspectiva, quando apresenta sinais de falência em algum órgão, não é reanimado. Fiquei chocada ao saber a princípio, mas depois entendi que esse procedimento é muito digno em não prolongar o sofrimento do doente)

E meu pai faleceu.

É uma situação inenarrável. Ainda que você saiba que irá acontecer, o chão some dos seus pés....



Mas meu post na verdade não é para falar de tristeza, mas sim de AMOR.

AMOR que senti (e sinto) loucamente pelo meu pai em todos os dias da minha vida e além dela.

AMOR que meu pai espalhou pelos quatro cantos, cantando e encantando com sua voz linda e sua simpatia.

AMOR que vivi nos últimos 15 dias de vida do meu pai, ao seu lado, 24 horas por dia. O amor incondicional, que só pais e filhos trocam. Cada risada, cada declaração, cada revelação, cada birra...cada carinho, tudo com doses cavalares de afeto, cumplicidade e amizade que sempre tivemos um com o outro.

AMOR que recebi dos amigos verdadeiros (e que estiveram ao nosso lado até o momento em que entrei no carro funerário pra fazer o traslado do corpo até SP onde a família nos esperava)

AMOR que conheci no Hospital São Judas Tadeu, e que até então era desconhecido para mim.

Esse post é para falar do AMOR que vivi no Hospital São Judas Tadeu, o Hospital do Amor....

Tapete da entrada do Hospital


O Hospital São Judas Tadeu, é uma unidade da Fundação Pio XII, do qual são encaminhados os pacientes que passaram por rigorosa avaliação do Centros de Intercorrência, Clínico, Cirúrgico e Médico, Radioterapia, Quimioterapia e Ambulatório da Fundação, cujo tratamento no combate ao câncer já não trará mais melhora ao paciente, e cujo objetivo é exclusivamente tratar pacientes em cuidados paliativos.

Eu até então, desconhecia o termo "cuidado paliativo". 
O alívio do sofrimento, a compaixão pelo doente e seus familiares, o controle impecável dos sintomas e da dor, a busca pela autonomia e pela manutenção de uma vida ativa enquanto ela durar: esses são alguns dos princípios dos Cuidados Paliativos.

Os Cuidados Paliativos foram definidos pela Organização Mundial de Saúde em 2002 como uma abordagem ou tratamento que melhora a qualidade de vida de pacientes e familiares diante de doenças que ameacem a continuidade da vida. 

O tratamento em Cuidados Paliativos deve reunir as habilidades de uma equipe multiprofissional para ajudar o paciente a adaptar-se às mudanças de vida impostas pela doença, e promover a reflexão necessária para o enfrentamento desta condição de ameaça à vida para pacientes e familiares. 

Para este trabalho ser realizado é necessário uma equipe mínima, composta por: um médico, uma enfermeira, uma psicóloga, uma assistente social e pelo menos um profissional da área da reabilitação (a ser definido conforme a necessidade do paciente). Todos devidamente treinados na filosofia e prática da paliação.
Fonte: Academia Nacional de Cuidados Paliativos





Mas vou traduzir com minhas palavras e vivência.

O cuidado paliativo do Hospital São Judas Tadeu, é simplesmente IMPECÁVEL.
A forma como meu pai foi cuidado e eu, foi incrível.

Traduzindo em uma única palavra eu diria que DIGNIDADE define.

Todos os profissionais envolvidos, desde a médica Dra. Katia que foi sempre de uma generosidade e uma delicadeza extrema, os técnicos, enfermeiras-chefe, nutricionista, psicologa, fisioterapeuta, musicoterapeuta, dentista, assistente social, até as meninas que limpavam o quarto, as que vinham trazer comida (que aliás diga-se de passagem era muito saborosa e era servida para quantas pessoas estivessem no quarto no momento) ou a senhora que  coordenava o pessoal da cozinha, que me atendia com toda simpatia e solicitude quando meu pai queria comer algo diferente, quando ele ainda comia, ainda que quase nada.
Certo dia, meu pai não queria mais comer nada, eu nem pedi nada, mas na hora do jantar, trouxeram três 'marmitex' com tudo que ele havia pedido de diferente nos últimos dias, para ver se ele queria comer algo...fiquei de queixo caído com a atenção no tratamento particular para cada paciente.

Se meu pai não comia, a nutricionista vinha pessoalmente perguntar o que poderia fazer para ele comer, algum prato em especial...

Sim, lá o paciente escolhe o que quer comer, o que beber...o paciente é tratado como o ator principal...o "astro do filme".

As visitas eram liberadas. É como uma espécie de "despedida" para alguns, então não há restrição de número de visitantes, e o horário estende-se até as 21h.
Diariamente a fisioterapeuta passava para fazer alguns exercícios com ele, duas vezes na semana vinha o dentista.

As meninas da enfermagem eram muito amorosas e faziam a maior festa com meu pai, sobretudo na hora do banho, era muita risada e ele entrava no clima.

A sensação que se tem, é de estar num hotel de luxo, literalmente. O cuidado e o tratamento dispensado não só com meu pai, mas comigo era surreal (e tudo subsidiado pelo SUS e a ajuda da comunidade, artistas e a participação financeira governamental)

Logo que cheguei, tive uma conversa de gente grande com a médica Dra. Katia, que foi super delicada em me informar sobre o quadro gravíssimo do meu pai. Em seguida, veio a assistente social, assegurar que eu estava bem instalada, se precisaria lavar minhas roupas, se viria mais alguém da família para me acompanhar, enfim...um cuidado impar.
 Espaço Convivência
Um lugar agradável onde é servido café, chás, suco, frutas, pães, para todo o quadro e acompanhantes, que também fazem as refeições, ou até mesmo conversar com os médicos ou outro profissional longe do paciente, ou apenas relaxar

Passando esse primeiro momento de notícias não boas, mas que me foram transmitidas com total delicadeza e humanismo, foi a vez da psicóloga. 
Eu recebia a visita diária da psicóloga para saber como eu Ana, estava lidando com a situação, e me falava a todo momento para eu estar preparada para o futuro breve, mas sobretudo elogiava minha postura com meu pai, pois eu me mantive o mais forte possível na frente dele: não chorava, não lamentava, só o amava....e isso foi incrivelmente essencial para eu ter forças para continuar firme, mesmo sabendo que os dias estavam contados...
Quando meu pai,  a certa altura não deixava eu sair de perto dele, e não podíamos conversar a sós, ela ficava ao meu lado, e me observava fazendo massagem nele, e me dizia como era importante esse toque para ele, do quanto ele sentia-se seguro.....e ela fazia um afago no meu braço, me olhava com satisfação, e isso era um alento maior do mundo...

Existe até um Assistente Espiritual, que tem o cuidado em saber qual a religião do paciente e acompanhante. No nosso caso, eu e papis somos católicos, e todos os dias passava uma senhora convidando a participar da missa e o padre veio algumas vezes visitá-lo.

Capela São Judas Tadeu


Quando Dra. Katia respondeu a uma pergunta do meu pai, se era grave o resultado de um exame, e ela confirmou que sim, que era muito grave, em seguida tomou a mão dele e perguntou a religião dele, e foi tão carinhoso, me emocionei com esse gesto, ela pedindo para meu pai rezar com ela, pedir ao anjo da guarda para estar ao lado dele, para que Papai do Céu guiasse o que fosse melhor para todos, para ele, para ela, para mim, fez uma prece linda, isso me fez amar mais ainda toda a estrutura, e agradecer a Deus por meu pai estar tão bem cuidado em todos os aspectos.

Todos os quartos possuem frigobar, ar condicionado, tv, e um sofá que vira cama...ficamos super bem acomodados



...além de  uma varanda linda e agradável....



Geralmente os visitantes ficam na varanda para não ficar muita gente no quarto....

Quando paizinho dormia, eu ficava na varanda fofocando com minha flor Celena, com a família e amigos no face... mas ficava de olho nele ao mesmo tempo....
Um outro cuidado: quando cheguei e a enfermeira reparou que eu trouxe o notebook, prontamente me informou a senha do wi-fi do hospital...achei fofo, pois cheguei a levar até um modem 3G e nem usei...

Recebemos a visita dos Doutores da Alegria, que na minha equivocada visão era tão somente para alegrar as crianças, e foi tão bacana e tão importante naquele dia.... e foi algo apaixonante para mim.
Meu pai na ocasião contou uma piada musical e foi muito bacana.
Um outro dia eles voltaram e cantaram com ele, foi um momento de alegria.



A Midi (à direita) foi tão querida, que nos adicionamos no Facebook, e quando ela soube da morte do meu pai, foi ao velório e ao enterro, com o esposo (o moço do violão). Isso significou tanto pra mim, que fiquei toda orgulhosa, não só pelo trabalho lindo que eles desenvolvem, mas pelo ser humano impar que eles são.

Enfim, o que posso dizer sobre o Hospital de Câncer de Barretos, a Fundação Pio XII, é que, sempre assistimos na mídia o quão maravilhosa é toda a estrutura, mas eu, assim como todos que um dia passaram por lá e tiveram a oportunidade de usufruir, ficam encantados e maravilhados com tanta generosidade e amor com que os profissionais trabalham.
Toda atmosfera do São Judas é ladeada de amor, compaixão e sobretudo empatia, até quando esbarramos com outros acompanhantes no corredor, a troca de olhares em milésimos de segundos é carregada de amor e de uma cumplicidade incrível.

Agradeço a Deus por meu pai ter passado os últimos dias de vida de forma tão digna, sendo tão bem cuidado, e sem o mínimo de dor.
Costumo comentar com as pessoas mais íntimas, que se existe 'Céu', o São Judas é a ante-sala.... porque o AMOR desse lugar é o princípio fundamental acima de qualquer coisa.
...

Meu pai chegou a comentar comigo, que quando saísse do hospital, faria um show com toda renda revertida para a Fundação Pio XII. 
Infelizmente ele não pode realizar esse desejo, e eu, em agradecimento e reconhecimento, levantarei sempre a bandeira para que todos, inclusive eu, possamos ajudar a Fundação, para que possam atender mais e mais pacientes com essa doença.

Para conhecer os sistemas de doação, clique AQUI


Lembrando que esse mês de outubro inicia-se a campanha Outubro Rosa, dedicado exclusivamente à prevenção do Câncer de Mama.... clique na imagem pra maiores informações.





Dedico esse post ao meu pai querido, a todas as pessoas, a família e aos amigos verdadeiros que estiveram conosco.


Beijos, me abracem?

: /




29 comentários:

C.helena Souza disse...

Miga, que post lindo... fico emocionada porque acompanhei toda sua angústia, enquanto seu pai estava acamado e através desse texto vc conseguiu transmitir todo seu amor e agradecimento a todos que estiveram do seu lado e do seu pai. Parabéns pelo lindo texto e pela filha exemplar que você foi...sinta-se abraçada... bjssss

Tays Rocha disse...

Ana, me emocionei lendo tudo, embora eu a tenha acompanhado no Face, esse relato é tão real e cheio de amor e gratidão, impossível não vivenciar um pouco do que você passou. Sei que a situação é dolorosa e triste, mas de certa forma fico aliviada em ver o quanto vocês foram apoiados, bem cuidados e preparados pra passar por tudo isso, numa instituição séria, humana e com pessoas competentes. Seu paizinho está melhor que nós certamente, e sabe do seu amor. Te admiro muito, achei linda tua postura, você é especial! Beijos e um abraço bem apertado ♥

Monalise Nogueira disse...

Chorei com tudo que seu coração postou aqui.

Valéria Martins disse...

Sei bem do que você esta falando, e parece que revivi tudo que passei com minha mãe, isso ha 8 anos a traz. Ela foi tratada do Hospital São Paulo aqui em São Paulo capital, também maravilhoso em todo tempo que ela esteve lá m tratamento foram 4 naos e muito amor, carinho, de todos lá dentro, em nenhum momento esconderam de nós a realidade, em todos os momentos foram sábios em lidar com cada situação, quando entraram com o paliativo, nos explicaram e também ficaram ao nosso lado o tempo todo, chorei em ler pois passei o que você passou, senti na pele e no coração, lindo esse amor, que também senti e sinto, por minha mãe que me faz uma falta imensa, linda, meiga, alegra, sem te conhecer parece que por essa dor e por esse amor fomos unidas! Beijos...

Alexandre Mauj Imamura Gonzalez disse...

não tem como não se emocionar ao ler esse post...
a gente sente todo o amor que sempre uniu e segue unindo vcs....

Rosangela disse...

Não estou supresa com essa sua atitude pq algo assim só poderia vir de uma pessoa com uma alma tão generosa, sensivel e forte como a sua, pois oque que percebi ao longo dos dias que vc passou aqui com teu pai é que vc foi um anjo enviado por Deus a vida dele...e compreendo e muito que vc teve o total amparo dessa Instituição tão linda e acolhedora, hj flor faz um mês que teu pai tá guardado aí no teu coração e dai ninguem pode tira-lo...Milhões de beijos

Apartamento em Uberl�ndia disse...

Lindo texto.

Revivi alguns momentos bons com o Geraldo e fiquei feliz em sabe que ele foi bem tratado no final de sua estádia nesse mundo.

Felicidades você merece!!!

Carine Gimenez disse...

Ana sua linda, impossível não ficar emocionada com tanto amor transbordando de cada palavra.
Dignidade, é o que precisamos para viver e para partir.
Beijão querida.

Zizi Santos disse...

Ana
sinta-se abraçada por mim
acompanhei pelo Face, o amor e o cuidado que tinhas com seu pai
O amor os uniu com certeza
Fica em Paz,
que Deus te proteja
bj
Zizi

J&J DECORAÇÕES disse...

Simplesmente lindo...Relato emocionante....dá pra sentir o Amor em cada letra, palavra,....lindo D++++....Que Deus possa continuar te abençoando e aliviando essa dor....Sinta-se Abraçada..bjos...

Beatriz Paulistana disse...

Ana, bom dia!!!
E estou aqui em lágrimas...Deus sabe o motivo...
Suas palavras...seu carinho a forma que tudo aconteceu para quem recebe essa notícia é algo inexplicável...como uma tempestade que chega sem ser hora, tanta informação, medo, pavor...dúvidas...mas no final nos resta justamente a Fé. Pois como a enfermeira disse apenas a fé pode nos dar um conforto melhor.
Estou na luta...e me entreguei nas mãos de Deus...até brinco que ele sempre andou ao meu lado. Mas nos últimos dias está me carregando no colo.
Faço meu tratamento na ACCOM em Divinópolis/MG um lugar também abençoado e que todos da mesma forma que você relatou nos tratam com amor, carinho, alegria...e é isso que fortalece...tanto na equipe do hospital, quanto aos nossos familiares, amigos, conhecidos...
Tenho certeza que seu pai está feliz lá no céu...
Fácil não é...mas se foi a vontade de Deus temos que tentar superar...
Deixo meu abração de urso para você!
E uma dica para todas as mulheres e demais visitantes que por aqui passarem...
NÃO DEIXEM PARA DEPOIS, NA DÚVIDA PROCUREM O ESPECIALISTA CORRETO PARA TE EXAMINAR E TE DAR UM LAUDO FINAL. O MEDO SÓ FARÁ AS COISAS FICAREM MAIS COMPLICADAS E DIFÍCEIS DE SEREM RESOLVIDAS.
Feliz e Abençoada Semana!!!
Bjokas...da Bia!!!

Mell Santos disse...

Admiro sua força e coragem amiga.
Muito lindo seu relato e sei que seu pai está feliz por ter tido uma filha maravilhosa quando ele precisou.
Bjs que Deus abençoe vc sempre.

Neide Guedes disse...

Ana, minha querida! Que post maravilhoso! Como você sabe trabalhar com maestria com as palavras e com a forma de falar. Você soube, nesse momento que, certamente, seria apenas de muita dor e sofrimento, o seu reconhecimento e admiração por esse magnífico trabalho dos colaboradores do Hospital São Judas Tadeu! Eu não sabia de tamanha dedicação e desse exemplo de servir. Como é bom saber que existem instituições assim, com pessoas munidas de amor e caridade no coração e capazes de multiplicar todo esse amor com todos que por ali passam. Imagino que foi muito difícil essa trajetória - sua e de seu pai - mas, me tranquiliza saber que toda dor e sofrimentos foram amenizados por esses anjos que estavam com vocês! Obrigada por nos deixar mais próximos de seres humanos tão maravilhosos! Bjo no seu coração!

•♥ Sra. N ♥• disse...

admiro a forma como abriu o coração e relatou tudo. Felizmente ainda existem pessoas boas e e lugares especiais para cuidarem de quem amamos com o mesmo amor nosso.

Fique em paz.

Julio Mendes disse...

Acompanhei cada minuto desta jornada e mesmo assim fiquei emocionado. Sempre elogiei sua capacidade de comunicação, neste relato você se superou e conseguiu transcrever de uma forma linda o sentido literal da DIGNIDADE! Também fiquei encantado quando vi tantos artistas, especialmente cantores famosos que contribuem para manutenção desta ante-sala do Céu! Sugiro que você se prepare para escrever a Biografia de Geraldo Viola antes que algum “amigo” resolva fazê-la, depois da realização do show em homenagem a ele, com a renda revertida para o Hospital de Barretos! Partiu o homem honrado, o cantor e compositor talentoso, o pai carinhoso, o amigo de fé, o irmão camarada, mas ficou seu legado e a sua voz gravada! Parabéns para a artista da palavra fácil que trás na genética o talento de seu pai! Muito lindo e muito puro o seu post! Valuuuuuuuuuuuuuuu!

Eu que fiz... ou quase isso disse...

Ui, ufa, Ana eu nem sei o que dizer acho que vc já falou tudo, foi um longo e lindo post tenha certeza eu li com o maior carinho e respeito, nós sempre interagimos muito no face, mas pouco acompanhei vc realmente como amiga acolhedora faz, são laços que pretendo estreitar não só de agora em diante mas já algum tempo, percebi tanta gratidão e nem todas pessoas são gratas pelas coisas boas que em nossa vida passa.
Foi uma forma linda realmente de homenagear seu pai e o hospital e realmente vale a pena ajudar, pois tudo que vc falou aqui é muito humano.
Eu não sabia o que era o tratamento paliativo, foi muito esclarecedor ler tudo isso aqui no seu Blog, bom eu ja fui católica praticante, ultimamente ando em falta com minha religião.
Até combinei de ir no Padre MArcelo amanhã, mas vamos ver se vai dar certo!!
Uma vez eu houvi uma pessoa perguntar para uma mãe como ela conseguia ficar tão calma diante da morte do filho! ela respondeu que ao invés de se lamentar pela perda do filho estava agradecendo a DEUS pelos 25 anos maravilhosos que ele concedeu a ela em convívio do filho que não lhe dera nenhum desgosto, que era divertido, alegre, trabalhador etc.
Eu sempre comento que não sei o que dizer nestas horas quando vejo que alguém perdeu umente querido, mas gravei esta frase pq achei muito linda.
Espero que vc um dia possa se lembrar do seu pai sem dor, só saudade mesmo e lembrar o quanto ele foi alegre, cantador e seu amigo além da vida né?

bjs carinhosos

Gélia

Stella Hoff disse...

Own, to emocionada, infelizmente nem todos os hospitais são assim, deveria ser uma regra...
Mas enfim, fico mto feliz que seu pai tenha tido esse tratamento, que vc tb, e que vc teve esse tempo de despedida com ele, bom para relembrar momentos especiais juntos... Não foi de repente, não ficou nada a dizer...

Obrigada por compartilhar essa linda história, Obrigada por ir ao encontro, bjs e adorei te conhecer!

Stella Hoff disse...

Own, to emocionada, infelizmente nem todos os hospitais são assim, deveria ser uma regra...
Mas enfim, fico mto feliz que seu pai tenha tido esse tratamento, que vc tb, e que vc teve esse tempo de despedida com ele, bom para relembrar momentos especiais juntos... Não foi de repente, não ficou nada a dizer...

Obrigada por compartilhar essa linda história, Obrigada por ir ao encontro, bjs e adorei te conhecer!

Josilene disse...

Merecemos esses cuidados especiais em momentos de tanta dor . Linda sua gratidão pelo carinho que vc e seu paizinho receberam . Bjs .

Josilene disse...

Merecemos esses cuidados especiais em momentos de tanta dor . Linda sua gratidão pelo carinho que vc e seu paizinho receberam . Bjs .

LEONOR MARIA LÈO disse...

1)SINTA-SE ABRAÇADA...
2)VC ESCREVE LINDAMENTE!
3) ESTÁ ALÇANDO SEU VOO DE FÊNIX...NÃO HESITE...A VIDA CONTINUA PRA ELE E PRA VC E ESTAREM EM DIMENSÕES DIFERENTES É PROVISÓRIO...NÃO DESPERDICE ESSA TRANSITORIEDADE E NÃO FAÇA DA SUA VIDA O QUE ELE JAMAIS FEZ...ANDA...VOA JÁ...

Adelaide Araçai disse...

Aqui estou na fase de "nada está tão ruim que não possa piorar" e lendo este seu texto, gostei de saber que existe um lugar que pensa como eu. Sim sou contra prolongar a dor. Se não tem cura, penso que devemos minimizar o sofrimento, cuidar e aguardar que seja feita a vontade de Deus.

Muita Luz e Paz!
Que Deus lhe ilumine e guarde sempre com muito amor em sua vida.

Abraços

Ana Lígia disse...

Oi Ana,
Que relato emocionante, não tem como não se emocionar com tudo que li aqui.
Primeiro recebe o meu abraço carinhoso, quantas coisas valiosas você passou pra cada um de nós que pôde ler esse post. Conhecia um pouco o trabalho do Hospital De Câncer de Barretos, agora fiquei ainda mais admirada com o amor que é dado a cada paciente e seus acompanhantes. Magnífico. Os doutores da alegria é outra história de amor, só o amor... não tem explicação, se vive! Levar alegria aqueles que precisam. A médica tão atenciosa com seu pai também... Emocionante. Um beijo pra vc, e o seu paizinho está do ladinho de Deus orgulhoso de vc!

Artes da Sandra disse...

Anex, super emocionada com teu relato, com tanto amor, tanta dedicação,... Tu é uma guerreira, assim como teu pai. A saudade ficará pra sempre mas a alegria de ter passado esse tempo cuidando dele, te dará conforto e paz.
Quanto ao hospital, realmente, não conhecia mas posso dizer que fiquei encantada com tanta dedicação!!!

Um beijo enorme pra ti e fique com Deus!

Lilian Marson disse...

Acho lindo os doutores da alegria!É um trabalho de amor sem tamanho!!Bela postagem Lú.Amei.

Cristiane Fernandes disse...

meus sentimentos amada de Deus, tbm perdi meu pai com essa doença, ele lutou contra a doença por cerca de mais de 10 longos anos, indo e vindo ao hospital, radio e quimio, mas ele descansou em janeiro de 2012, sinto saudade, mas sei que ele está bem agora, livre de tudo por que passou, sinta-se abençoada por ter passado tão lindos momentos com seu pai tbm,assim como eu tive tbm pela graça e misericórdia de Deus, se cuida, beijo.

DE TUDO UM POUCO disse...

Ana, sinto muito pela partida do seu Pai mas, Deus sabe o que faz, olhe só vocês terem sido tão bem tratados e ele tão bem amparado. Não sabia que o atendimento la era assim tão minucioso e amoroso, vou divulgar o seu post e também falar sobre o hospital. Olha realmente você foi muito forte e o post escrito com tanto sentimento e amor.
Eu perdi Pai um mês antes do meu filho nascer em 2009 e nossa é uma dor muito grande saber que alguem que amamos tanto nunca mais ira voltar. Eu penso que ele foi viajar e um dia iremos nos encontrar. Pai eu te amo muito!!!

RENATA disse...

NOSSA ACHEI MUITO FORTE TUDO QUE VC ESCREVEU E VOU PRA LÁ COM MEU PAI E ESTOU MORRENDO DE MEDO DE VÊ-LO MORRER MUITO MEDO MESMO E NEM SEI COMO VOU REAGIR MAS ESTOU COM MEDO .

Vinnycius Carvalho disse...

D+ seu testo em agradecimento ao hospital e sua visão sobre os cuidados paleativos.
mas na verdade foi c que entendeu literalmente sobre o que é um cuidado paleativo. por sinal muito importante.
eu amo mto minha profissão, ao o que eu faço sou funcionario deste hospital.
Vinicius técnico de enfermagem. que deus conforte nossos corações em momentos difíceis.